coronavírus e desgoverno


Em 2018, em uma conjunção de forças diferentes e tradicionalmente adversárias e distintas, 37% dos eleitores elegeram Jair Messias Bolsonaro. O deputado com 27 anos de baixo clero no Congresso e o sindicalista informal de militares, policiais e da chamada bancada da bala, parece ter entendido que ele e seu clã acabavam de ser escolhidos para a fundação de uma monarquia não constitucional com tintas teocráticas.

Um ano depois do "golden shower", erros, desvios e infrações à lei e à ética acumuladps em uma ação sistemática de implosão das instituições tornam muito pobre e preocupante o balanço a ser feito. Dos belos projetos anunciados antes e em seguida à diplomação, o que se logrou credite-se ao Congresso e ao Judiciário que escoimaram das propostas os delírios de Dr. Strangelove do Posto Ypiranga, liberal a bandeiras despregadas sazonado nas equipes de Pinochet.

Choca, mas não surpreende, assim, ver o imigrante haitiano sentenciar com a dureza de sofrimentos vividos: Você não é mais presidente. Um quase marciano no cercadinho da tietagem embasbacada articulou com direta simplicidade "o rei está nú".

Nunca pude me sentir representado por quem elogia a tortura, desrespeita os Direitos Humanos, tem ereções com motosserras, condecora milicianos, denigre a vida política depois de quase 30 anos de irrelevância no Congresso e orienta seu desgoverno pelos likes das claques de linchadores. O custo para o País, para a Nação, para a economia é, de há muito crescente. Perde o agronegócio - setor mais dinâmico de nossa economia. Perdem as Forças Armadas com os elogios à quebra da hierarquia e as tentativas reiteradas de associá-las em 2020 a aventuras antidemocráticas. Perdemos todos os que acreditamos na alternância do poder, no diálogo e na negociação que consubstanciam a Constituição.

É tempo para que o Reale, a Janaína, os eleitores bpolsonaristas frustrados em suas ilusões ajudem a encontrar a fórmula menos traumática para todos, para que os riscos do bolsovírus não continuem a complicar ou mesmo inviabilizar o enfrentamento do desafio real do coronavírus em meio ao desgoverno.


©2017 criado por Afonso José Sena Cardoso