um grande escritor europeu português


São muitos os grandes escritores portugueses hoje reconhecidos em todo o mundo, menos porém, ainda, aqueles que se revelam, por seus méritos, intérpretes de um Portugal novo, contemporâneo e claramente europeu. Gonçalo M. Tavares é um deles, quem sabe o maior deles.

Sem em nada deixar de ser português, nascido em Angola, Gonçalo olha o mundo de uma perspectiva europeia e seus temas interessam ao ser humano, independente das coordenadas.

A leitura de Jerusalém que lhe valeu o Premio Saramago de 2005, explica a reação de Saramago ao conferir-lhe a honraria: "não há direito" de Gonçalo escrever tão bem apenas aos 35 anos, "dá vontade de lhe bater"

Jerusalém, a exemplo de outros dos seus livros, lembra, na estrutura, o texto de uma peça de teatro. Gonçalo monta o cenário em parcos traços. Marca suas personagens, ao colocá-las em cena, com um sinal, muitas vezes físico, facilmente reconhecido. A ação definirá sua alma. E o script ao drama.

Surpreende que ao fim reste, de tanta secura e de verdadeiro relatório de autópsia, frágil mas renitente esperança para o homem, sua profissão de fé pelo bem e sua compulsão pelo mal.


©2017 criado por Afonso José Sena Cardoso