a instalação/teatro de Bia Lessa


Silviano Santiago diz que a instalação/montagem de Grande Sertão Veredas por Bia Lessa captura o olhar do público durante o dia, como se fosse um livro fechado. Ã noite se expande, como um livro aberto.

No alvo: na belíssima versão de Grande Sertão Veredas feita por Bia Lessa a palavra, o texto de Guimarães Rosa preenche os espaços vazios criados por ela com a força de de uma das narrativas mais sonoras e poéticas da literatura. Como no livro, o único diálogo se dá entre Riobaldo e o leitor/espectador.

Com a música de Gismonti, a entrega total do elenco, a emoção do movimento que transforma corpos em pássaros ou armas e a beleza eficiente dos poucos elementos cênicos utilizados arma-se um espetáculo de grande beleza.

Talvez Guimarães sorrisse espantado com o encanto do seu trabalho transposto ao palco. Certamente gostaria.

De não se perder: no Teatro Popular Oscar Niemeyer, em Niterói.


Posts recentes

Ver tudo

Pelas mãos de Oscar e Stella

Com os netinhos pelas mãos, descobrimos Solange e eu o teatro lambe-lambe. Foi no Centro Cultural da Caixa Econômica Federal do Rio, no minifestival Olhar Atento, com artistas brasileiros, argentinos

©2017 criado por Afonso José Sena Cardoso