homens imprudentemente poéticos


Valter Hugo Mãe é romancista, poeta, artista visual, agitador cultural, enfim um artista múltiplo que traz para seus trabalhos, nos diversos meios e suportes, o mesmo engenho e arte, ampliados pela sensibilidade diferente, misturada, variegada que é a sua marca.

Imprudentemente poético, o Autor, planta em um Japão imaginário a sua "terceira margem do rio". No sopé da montanha dos suicidas, Saburo, o oleiro, a memória da finada mulher, Itaro, seus inigualáveis leques pintados e sua irmã muda são os fios condutores de uma estória montada em quadros sucessivos. Importam a alma, os sentimentos, os silêncios, o que não se vê mas se advinha.

Livro de se ler sem vontade de acabar. De se pinçar, aqui e ali, o período cadenciado, sonoroso, prenhe de imagens que, não raro, emendam-se. É novela? é romance? é poesia?

É arte.


©2017 criado por Afonso José Sena Cardoso