olha ele de novo ou I want to be alone


Não se lhe negue a firmeza em cumprir promessas eleitorais (e tantos pensávamos fossem apenas imagens de fácil apelo...). Trump propôs a prometida reforma tributária que favorece os muito ricos e passa a conta pros remediados e os menos que isso. Logrou aprová-la e - fantástico! - vê-la aplaudida pelos últimos e os últimos dos últimos. Prometeu mudar a Embaixada americana para Jerusalem e, bem, já ouvimos todos, alto e bom som, o anúncio de que começam os preparativos para que isso ocorra.

Sem esquecer que, sempre no melhor interesse de seus eleitores, já levou à mesa canadenses e mexicanos para que o NAFTA seja mais lucrativo pras empresas dos EUA. Ameaçou repassar o grosso dos custos da OTAN aos europeus. Deixou falando sozinhos os parceiros do TPP. Antecipou a disposição de fazer o mesmo na OMC. Lavou as mãos (eta expressão infeliz, no caso) nos temas ambientais e ameaça seguir com esse "não estou nem aí" em temas transversais, como um todo. A lista é muito mais longa, mas fica claro que não cometeu nesses itens estelionato eleitoral. Se as consequências serão boas para o resto da humanidade, para os EUA e para seus próprios eleitores são outros quinhentos.

Mas já há quem o admire e lhe seja sinceramente grato. Com razão. Perguntemos a "Bibi" em Israel ou Xi Jinping, em Pequim. Seguramente não dormirão nunca sem uma bela oração ou um momento de reconhecimento por tudo o que o Presidente Trump tem feito pelos sonhos deles. Benjamin Netanyahu deve estar quase convencido de que Papai Noel existe e tem un topete esquisitão. Já o Presidente Xi Jinping jamais imaginaria encontrar em seu contraparte norteamericano tão entusiástico colaborador do projeto de confirmação da China como grande potência muncial, com Rota da Seda e tudo.

America First ou antes só que mal acompanhada, imigrantes e refugiados meiavolta e volver, bons muros fazem bons vizinhos, conto só eu e os outros que se danem, um protecionismo este sim aberto e escancarado levam a uma América ensimesmada, menor e - paradoxal que pareça - menos forte e rica. Terá o Senhor Trump alguma obsessão por Greta Garbo, ou servir ao seu eleitorado é apenas mais uma cortina de fumaça.


©2017 criado por Afonso José Sena Cardoso