Viva Joel!


A foto de Marília Figueiredo documenta o lindo final do terceiro show comemorativo, no Rio de Janeiro, dos 80 anos de Joel Nascimento. Se o segundo, no Teatro Municipal de Niteroi, avarandou-nos os corações, a reunião, dia 5 de novembro, no Oi Casa Grande, de Henrique Cazes, Hamilton de Holanda, Silverio Pontes, Zé da Velha, Daniela Spillman, Beto Cazes e outros tantos grandes instrumentistas testemunhou novamente da admiração dos chorões pelo Mestre Joel e pôs à prova os nossos corações brasileirinhos.

Diálogos requintados e generosos do bandolim de Hamilton e o cavaquinho de Cazes, pontuados com sutileza pela percussão. Uma roda de choro enriquecida a cada momento por improvisos de grande inspiração do sax de Daniela, o trompete de Silvério , o trombone de Zé da Velha e a flauta alegre de Maionese. E choros, polcas, caprichos e singulares Villa Lobos que se sucediam em uma celebração de virtuosismo, sentimento e emoção a uma das maiores figuras da música brasileira.

Solange, eu e os mais de 400 extasiados espectadores saímos com a impressão, clara, de que, por especial deferência, foramos todos admitidos ao sofá da sala de uma festa em família de um grupo fantásticos de músicos.


©2017 criado por Afonso José Sena Cardoso