Com os binóculos de sempre


Por (de)formação profissional procuro antes advinhar tendências de médio e longo prazo do que entender os desencontros e incidentes do aqui e agora.

Sim, já ouvi muitas vezes que a longo prazo estaremos todos mortos - mas aposto nos filhos e netos. E bem sei que vendo a vida de binóculos perco muito das personagens e circunstâncias, tantas vezes saborosas quando não deprimentes - mas acredito que se possa entrever algo do futuro no presente.

Vou, assim, repetindo com Paulinho da Viola: "as coisas estão neste mundo só que preciso aprender". E traçando imaginárias curvas para futuros apenas prováveis.


©2017 criado por Afonso José Sena Cardoso